Envelhecimento Saudável: Terceira Idade em Movimento em São José dos Campos

Envelhecimento  Saudável: Terceira Idade em Movimento em São José dos Campos
Compartilhar
  •  
  •  
  •  

O país está envelhecendo e todos querem estar bem. Todos querem chegar na terceira idade sem doenças, sem dependência para realizar as atividades diárias, sem sofrer com as limitações nas locomoções e quedas. Uma saída para a qualidade de vida na velhice é a prática da atividade física.

No Vale do Paraíba há uma crescente de idosos frequentando academias fechadas que em grande parte foram estimulados pela academia ao Ar Livre. De acordo com a Associação Brasileira de Academias, o público idoso corresponde a 30% dos 5 milhões de matriculados em academias no país.

Em São José dos Campos este público marca presença também nas academias ao ar livre por um período e com o passar do tempo dão início nas academias particulares, devido a melhora do condicionamento físico e muscular e da necessidade de um treinamento mais especifico. O educador físico e personal Eid Nogueira confirma o aumento do interesse das pessoas com mais de 60 anos.

“Ao longo da vida, passamos por um processo fisiológico irreversível, ou seja, após se iniciar o declínio dos sistemas fisiológicos (por volta dos 40 anos) no corpo não há como obter uma reversão dos mesmos, mas com a atividade física pode-se amenizar a velocidade com que se processam as modificações nos sistemas fisiológico, muscular e psicológico”, esclareceu Eid Nogueira.

Com todas essas alterações, as pessoas de mais idade sofrem bastante, ocorrendo ainda restrições quanto a sua capacidade de locomoção, o que pode implicar em quedas e dificuldades na realização de atividades cotidianas, levando a total incapacidade funcional. Dessa forma, é de suma importância praticar atividade física, para que haja uma manutenção efetiva dos sistemas garantindo assim o bem-estar e a qualidade de vida do idoso, vindo contribuir para um envelhecimento bem-sucedido e amenizando os efeitos mais intensos dessa fase da vida.

Dentre os benefícios da atividade física na terceira idade temos a melhoria do bem-estar geral, a melhora da condição da saúde física e mais importante, a preservação da independência, lembrando que a atividade física é uma das intervenções mais eficientes quanto à melhora da qualidade de vida dos idosos, pois auxilia no controle das mudanças ocorridas pelo processo de envelhecimento, promovendo a independência e autonomia nas atividades do cotidiano.

“A atividade física muda completamente a vida do idoso completamente. Gera segurança para envelhecer com dignidade e independência, com autoestima elevada e promove o convívio social. Sendo bom para o corpo e mente, combatendo desânimos e depressões”, explicou o personal Eid Nogueira.

A perda muscular começa a partir dos 40 anos gradativamente devido a uma diminuição dos hormônios e fica mais perceptível aos 60 anos e a falta de atividade física aumenta o percentual de gordura. Com a perda muscular vem a perda de força, a mobilidade fica comprometida e o sedentarismo como fator agregado provoca outros problemas que agravam o envelhecimento

.

Segundo estudos, a falta de atividade física tem relação direta com quase 30% das mortes de cardiopatia, câncer e diabetes, e que a mudança de estilo de vida, para uma vida mais saudável reduziriam a mortalidade.

“Mudanças no estilo de vida, como se tornar mais ativo fisicamente, controlar o peso, deixar o fumo e controlar a pressão arterial contribuem para diminuição da mortalidade e para o impacto de uma vida dependente”, reafirmou Eid Nogueira.

O profissional orienta também que pelo menos três vezes por semana é importante que o idoso faça atividade física.  Nos treinamentos que ele aplica por exemplo, Eid desenvolve o trabalho em diferentes grupos musculares, como dorsais, peitoral, femurais, quadríceps e abdominais. Ele ressalta que é importante a proposta multidisciplinar nesse processo, o acompanhamento paralelo de um médico e um nutricionista, dependendo do caso outros profissionais que irão orientar e avaliar as necessidades do idoso.

Geralmente os idosos que ele atende tem idades entre 65 e 85 anos, alguns com dificuldades de caminhar ou simplesmente para sentar. Primeiramente é estimulado a parte aeróbica com caminhada na esteira e bicicleta agregados com alongamentos e exercícios com peso de Resistencia Muscular.

Um exemplo, é o senhor de 70 anos, Minoro Takatori que se sentia muito cansado, com dificuldades de movimentos e sem força. Há dois anos saiu do sedentarismo e iniciou os exercícios, por três vezes por semana com trinta minutos de atividades aeróbicas e com trinta minutos entre musculação e alongamento e isso mudou toda sua rotina de vida.

“Hoje eu consigo passear no shopping sozinho e até mesmo brincar com meu neto, me sinto bem mais disposto e mais à vontade para me locomover. Tudo ficou mais fácil de se fazer”, revelou Minoro.

Por isso, é importante que o exercício físico na terceira idade seja orientado por um profissional competente e responsável, que observe e respeite o limite do idoso.

Os exercícios na terceira idade trazem os benefícios:

-Prevenção e Diminuição de Problemas Cardiovasculares e Pulmonares

-Auxilio no Controle da Diabetes, Artrite e Doenças Cardíacas

-Fortalecimento Muscular

-Manutenção da Densidade Óssea

– Na Independência da rotina cotidiana (Renata Vanzeli – Solução Textual Assessoria) foto: (divulgação) Sr. Minoro Takatori pratica exercício de força sob orientação do educador físico Eid Nogueira