Empresa usa economia compartilhada para democratizar a saúde no Vale do Paraíba

Empresa usa economia compartilhada para democratizar a saúde no Vale do Paraíba
Compartilhar
  •  
  •  
  •  

O empresário joseense Gimenez Roriz observou uma tendência forte no país: a economia compartilhada. Hoje, existem serviços de economia compartilhada em diversas áreas e foi pensando nesse conceito que ele desenvolveu um projeto que elimina intermediários e promove o acesso, não a posse de um produto – na saúde no Brasil.

A ELIBE conecta pacientes a profissionais da saúde; tanto médicos quanto profissionais da saúde complementar, como psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, dentistas e educadores físicos. Na plataforma, os pacientes podem agendar consultas e exames com profissionais da rede e não pagam o preço da consulta particular, mas um valor atribuído pelo próprio profissional ou empresa, com desconto de até 70%.

“Apenas 25% da população no país possui convênio médico, onde os preços podem variar em média de R$ 150,00 a R$ 3.593,00. Além de ser algo distante para uma grande parcela das pessoas, os honorários pagos para os profissionais pelas operadoras podem chegar a R$ 60,00 para médicos e de R$ 25,00 para um psicólogo. Não fecha a conta.” – diz Gimenez Roriz.


Na ELIBE, a mensalidade é de apenas R$ 25,00 para o cliente e R$ 35,00 para o profissional ou empresa, que também usufrui dos benefícios. “Estamos falando de uma economia de até 70% para o cliente e um aumento de 50% no número de pacientes de um profissional e de até 120% em seu faturamento. As consultas poderão ser feitas presenciais ou através da telemedicina (on-line), seguindo todas as normas dos órgãos competentes”, afirma Gimenez Roriz.

Além disso, a empresa também fará uma parceria com Hemocentros e Hospitais da região, onde atuará fortemente nos quesitos Doação de Sangue e Doação de Órgãos.

“Na ELIBE a conexão é direta” – complementa Gimenez Roriz – “Tendo acesso ao estoque de bolsas de sangue, entramos em contato com toda nossa base de dados de clientes, profissionais e parceiros; o doador, ao invés de tirar um dia de folga, previsto em lei, pode optar por vantagens em estabelecimentos parceiros diversos por 30 dias a contar do dia da doação. Vantagem para os dois lados. O cliente ganha 30% de desconto em produtos e serviços e o comerciante um aumento de até 50% do seu público”. Para os hemocentros, uma redução de até 90% no número de falta e desperdícios que podem ocorrer.


A Doação de Órgãos ainda é um tabu para muitas pessoas. A ELIBE oferece uma parceria psicológica e também jurídica para que as famílias possam também autorizar a doação. A família, além de condições em estabelecimentos parceiros, fica isenta de todo e qualquer tipo de gastos funerários. E para o hospital, uma redução de até 35% nas filas de transplantes.

O intuito da startup é sempre criar um relacionamento de forma geral entre pessoa física e jurídica; entre cliente/paciente e profissional/empresa. “É um movimento que quer fechar esse gap de saúde absurdo no país e acabar com a disparidade de expectativa de vida” – complementa.

A ELIBE também promove um lado social, onde 10% do faturamento será revertido a projetos e entidades e junto a parceiros, realizará ações de saúde em periferias e locais de difícil acesso.

Os serviços da plataforma estarão disponíveis para todo o público a partir de julho de 2020. No começo, a startup focará o serviço nas cidades da região de São José dos Campos, Taubaté, Caçapava e Jacareí. (Fernanda Aleixo – Assessoria de Imprensa)