PARCERIA ENTRE RESPONSÁVEIS DOS ESTUDANTES E INSTITUIÇÕES DE ENSINO É A CHAVE PARA O SUCESSO

PARCERIA ENTRE RESPONSÁVEIS DOS ESTUDANTES E INSTITUIÇÕES DE ENSINO É A CHAVE PARA O SUCESSO
Compartilhar
  •  
  •  
  •  

Estudantes de grande parte das escolas de ensino fundamental e médio, sejam estas públicas ou privadas, estão ou retornaram às aulas neste momento de pandemia no ambiente domiciliar. O governo do estado de São Paulo como ação de prevenção ao contágio do COVID-19 decretou que a retomada gradativa de aulas nas instituições de ensino das séries iniciais e finais de educação formal sejam realizadas com medidas de distanciamento e higiene a partir do mês de julho. Educadores, familiares e alunos passam pela necessidade de adaptação a uma nova rotina e ao uso de ferramentas que proporcionam o ensino presencial com o uso da tecnologia online para cumprir o currículo escolar do ano letivo com muitos desafios.

Desde março instituições de ensino buscam mecanismos para atender o conteúdo pedagógico com treinamento dos professores, acessibilidade em plataformas digitais, ajuste de conteúdos multidisciplinares para compartilhar no universo da internet, entre outras questões que demandam mudanças e flexibilidade. Por outro lado, famílias e estudantes vivenciam este novo formato para que a educação seja realizada evitando prejuízos no desenvolvimento intelectual. Importante destacar que o ambiente escolar proporciona além das disciplinas habituais curriculares como matemática, artes, língua portuguesa, ciências, geografia, aprendizados essenciais para a formação do indivíduo e são tantas os conhecimentos que aulas remotas mesmo que em tempo real serão incapazes de suprir. Sociabilidade, análise crítica frente a desafios do cotidiano, robustez de valores morais, pensamento coletivo e eficaz, visão sistêmica são conteúdos presentes no dia a dia das escolas que mesmo as atividades mais eficientes em tempo real online tendem a atender de forma mais limitada neste período.

Wanessa de Oliveira Laschi, educadora e psicóloga organizacional avalia: “Educadores tiveram que se tornar influencers digitais e os responsáveis dos estudantes, se tornaram facilitadores educacionais. O momento requer paciência, resiliência e parceria. O esforço é de todos os envolvidos e, certamente, o propósito também é comum: promover a melhor educação formal e sem esquecer do desenvolvimento humano dos alunos.”

O que irá trazer o sucesso é um combinado das experiências teóricas e práticas presente no entendimento que o momento que pais de alunos estão vivendo é tão desafiador quanto o momento das instituições de ensino formal. Existe uma demanda de integração entre as disciplinas curriculares, família e aprendizado extra curricular como suporte ao desenvolvimento da criatividade, do pensamento analítico, controle emocional e habilidades que fazem parte da construção da personalidade comportamental do indivíduo.

Para que este momento seja mais proveitoso para os estudantes, a parceria entre familiares e educadores é fundamental. Planejar o momento de concentração às aulas, apoiar as atividades extracurriculares como execução de tarefas e trabalhos complementares e, principalmente, conversar sobre os conteúdos assistidos é a chave para o sucesso deste processo. Identificar a oportunidade de fortalecer habilidades socioeducativas devem ser incentivadas neste momento. Senso de responsabilidade para cumprir a carga horária escolar, organização do material de apoio e das atividades a serem elaboradas, pontualidade para estar disponível no momento da conexão remota, familiaridade com a tecnologia e, sobretudo, conversas em família que tenham como pauta o entendimento e assimilação das temáticas do currículo pedagógico devem fazer parte deste novo modelo educacional. (Fernanda Aleixo – Assessoria de Imprensa) Fotos: Divulgação